DEBATE: A absolvição de Vaccari põe em xeque o uso das delações como prova?

Fábio Tofic Simantob, advogado criminalista

SIM:  Essa decisão do TRF-4 é importantíssima. Talvez a mais importante para a defesa de acusados na Lava Jato até agora, porque ela revela a forma como alguns processos estão sendo conduzidos. O juiz Sérgio Moro ter uma sentença revista faz parte do jogo. O que escandaliza não é a decisão do TRF-4 ir contra Moro, mas sim mostrar que alguém foi absolvido e ficou preso durante anos com base em uma acusação que agora se mostra ilegal. Como pode um juiz decretar prisão com base em delações premiadas? Essa decisão passa um recado: “maneirem” nas prisões preventivas.

 

Antônio Carlos da Ponte, professor de Direito Penal da PUC-SP

NÃO: Acredito que a decisão em relação ao caso Vaccari foi diferente de outras decisões já tomadas pelo tribunal, mas que não deve causar grande impacto no total da Operação Lava Jato. Não existe nenhum impedimento para que as delações continuem sendo usadas como parte dos processos e, consequentemente, que os delatores tenham algum tipo de vantagem advinda da própria delação. Essa decisão está na contramão do que vem sendo decidido até agora. Foi uma exceção e não deve mudar o entendimento do valor da delação como instrumento legal.

Texto publicado originalmente em O Estado de São Paulo.

Mais publicações

23/08/2021

Modernização do Judiciário beneficia a máquina pública

Artigo publicado no blog Fausto Macedo (O Estado de S. Paulo) O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou neste mês a criação do Sistema de Integridade do Judiciário, instituindo um conjunto novo de regras que aprimoram o funcionamento desse Poder, prevenindo fraudes e combatendo a corrupção. O Sistema é parte de uma Estratégia Nacional do […]

leia mais
31/05/2021

Bolso-nazismo

Artigo publicado na Folha de S.Paulo O anti-judaísmo é uma das formas mais longevas de discriminação religiosa, racial e étnica. Atravessa ao menos dois milênios de história. ​Na alta Idade Média se manifestou sob a forma de perseguição religiosa, e o deicídio (com judeus acusados de matar Cristo) era motivação para a explosão de ódio […]

leia mais
19/05/2021

Maioria dos Estados tem leis para caracterizar devedor contumaz

O contribuinte em São Paulo corre o risco de ser denunciado por crime se ficar devendo seis meses de ICMS. Em Santa Catarina, o prazo é um pouco maior: oito meses, com dívida de pelo menos R$ 1 milhão. Além desses Estados, outros 17 e o Distrito Federal possuem normas para caracterizar o devedor contumaz, […]

leia mais